Zé Barbeiro | Entrevista

08 de Outubro de 2012

Um dos mais modernos compositores de choro, Zé Barbeiro apresenta repertório inédito, com uma assinatura muito pessoal no desenvolvimento das melodias e rítmicas inesperadas, explorando muitos acordes dissonantes e progressões não muito comuns no choro tradicional.

Perguntas

  1. Como começou a história do choro na sua vida?
  2. E o que foi que pegou você no choro, foi a dolência do choro, a sétima corda do violão?
  3. O show de hoje é baseado em composições suas e pelo o que eu estou vendo aqui compor é uma prática quase diária. Como é isso na sua vida?
  4. Você é um compositor muito ativo? E dentro do choro você compõe tudo, valsa, maxixe, com a levada do choro?
  5. A técnica tradicional do chorinho e uma das características mais fortes é o contraponto, quando um instrumento conversa com outro. Você usa isso nos seus arranjos com essa banda?
  6. Me fala da sua opção por ter baixo e bateria num repertório de choro? Isso vem do seu tempo de Jovem Guarda, da sua reminiscência rock and roll?
  7. Vamos falar de alguns temas seus como, por exemplo, "Mingau de Lagarto"?
  8. E "Mamão com Açúcar" que é uma expressão que a gente conhece?
  9. A música "Batera, sobrou pra ti!", vocês vão fazer na hora, como vai ser?
  10. Quando as músicas aparecem você faz no violão de sete cordas, fica pensando nos outros instrumentos, e aí põe no papel?
  11. Você falou do grupo Nó em Pingo d'Água como uma referência. Quais são as outras referências?
  12. Tem músico que acha a sua música muito difícil, muito diferente, dizem que não tem o porquê de fazer uma música dessa.
  13. Hoje não tem nem pandeiro? Isso é uma inovação, não deixa de ser um jeito diferente de fazer choro?
  14. Onde você encontrou os músicos?
Voltar ao topo

Programação SescTV

30 de Setembro

  • 03:30Passagem de Som - Michelle Abu
  • 13:00Passagem de Som - Big Chico
  • 13:30Instrumental Sesc Brasil - Big Chico
  • 18:00Instrumental Sesc Brasil - Matheus Barbosa
programação completa