Marcus Abjaud | Bate-Papo

26 de Agosto de 2019

Veterano no Prêmio BDMG Instrumental e um dos vencedores da sua 14ª edição, o experiente músico mineiro já acompanhou desde artistas como Victor e Léo, Eduardo Costa e Paula Fernandes a músicos de renome internacional, como Léo Gandelman, Mike Moreno e Toninho Horta, além de trabalhos com os cantores Wilson Sideral e Eli Soares.

Perguntas

  1. Como foram as participações nos diversos Prêmios BDMG e essas ocasiões?
  2. Fred, você também já esteve aqui com trabalho próprio e também já passou pelo BDMG?
  3. Bruno, você já veio aqui algumas vezes também, não?
  4. E você já veio com seu trabalho aqui?
  5. Josué, você já veio com trabalho próprio ou com outros músicos?
  6. Você teve menos de um dia para ensaiar o repertório?
  7. Daniel, como foi a sua apresentação com Pedro Martins no festival organizado por Eric Clapton?
  8. Vocês têm programação para ir par o Rio de Janeiro?
  9. Felipe Silveira pergunta: Eu vi que você explora o uso da escala aumentada no seu improviso, eu vejo que você utiliza isso com uma maestria e eu queria que você explicasse um pouco mais da sua forma de pensar utilizando essa escala.
  10. O que é uma escala aumentada?
  11. Rafael Castro pergunta: Gostaria de te perguntar sobre rotina de estudos e da sua rotina como compositor, como funciona suas inspirações e como você vê essa rotina de compositor?
  12. O que levou vocês a seguirem o caminho de música instrumental aqui no nosso país que a meu ver é bastante complicado?
  13. Felipe, quais foram os baterista que te influenciaram quando você começou a tocar?
  14. Marcos, fale um pouco sobre o seu trabalho com Ellis Soares?
  15. Felipe, como é a concepção da criação dos grooves, quanto é sugerido e quanto é interpretação sua?
  16. Fred, como é a sua parte?
  17. Como chega para você a linha de baixo?
Voltar ao topo